OS PRINCIPAIS TIPOS DE CULTIVOS E PRODUTOS QUE SERÃO A BASE DE SUSTENTAÇÃO RENOVÁVEIS DO PROJETO OÁSIS NO SERTÃO

Conseguimos produzir as pimentas de excelente qualidade. Fizemos um molho gourment especial 100% natural sem nenhum uso de agrotóxico. Diversos tipos de pimentas malaguetas indianas, biquinho, buhut jolokia, trinidad scopion e carolina reaper, dedo de moça, tabasco, pimenta bode, habanero, murupi e pimenta rosa. Colocamos uma erva local. Obtemos excelentes resultados e um sabor único diferenciado um molho exclusivo gourmet de qualidade internacional. Sem dúvidas nossos produtos terão grande destaque e aceitação comercial. Será bastante reconhecido pelo o excelente sabor e ardência.

Temos a intenção de vendermos os molhos de pimentas Oásis do Sertão em grande escala no mercado internacional para lojas de produtos do Brasil no exterior e grande rede de supermercados principalmente nos Estados Unidos.

A pimenta e um produto que gera uma expectativa muito grande para a sustentabilidade desse projeto. Ela promete manter um índice elevado de vendas. É diferenciado por não existir muitos concorrentes devido as colheitas serem totalmente manual e trabalhosa. Iremos suprir a falta de oportunidade de emprego no sertão. Estaremos oferecendo novas portas de desenvolvimento para a região.

AGRICOLAS DE ALTA ACEITAÇÃO COMERCIAL QUE SERÃO PRODUZIDOS PELO O OÁSIS DO SERTÃO

ALGODÃO COLORIDO 100% NATURAL

Sem dúvidas o cultivo do algodão e muito promissor para qualquer tipo de mercado seja ele nacional e internacional. O sertão é considerado em qualidade como a produção de algodão como os melhores resultados do mundo.

Nosso clima e solo são propensos e adequados para o cultivo do algodão. A nossa produção será 100% natural onde o cultivo preserva a saúde do solo graças à utilização do sistema derotação de culturas (alternar o mesmo espaço com outra espécie de modo que os nutrientes do solo não se esgotem), descartando a necessidade de fertilizantes sintéticos o que explica seu menor consumo de água. Não há uso de pesticidas, pois as pragas são combatidas com a inserção de espécies predatórias benéficas ou com outro tipo de planta que seja mais atraente para esses insetos; e ervas daninhas são retiradas manualmente e os agrotóxicos são desprezados.

As vantagens do algodão colorido são inúmeras. Podemos destacar que fibras marrons, foi melhorado e multiplicado pela Embrapa da Paraíba, onde ganhou diversos matizes, entre o rosado e o esverdeado, sempre em tons pastel, suaves. Para as tecelagens, isso significou eliminar o tingimento químico e seus poluentes, descartados em cursos d’água. Para os agricultores, a alternativa deu novo impulso à cultura do algodão. Essas variedades são mais tolerantes à estiagem e crescem com pouca água. O algodão natural não precisa trabalhar com máscara e luvas quando o algodão é comum, mas dispensa os equipamentos de proteção ao fiar e tecer. O algodão 100% colorido não afeta a nossa saúde. Até na parte de acabamento ele dá uma qualidade melhor, é um produto mais macio de trabalhar, não tem aquela agressividade na hora de trabalhar nas peças.

Toda essa transformação na cadeia produtiva com a adoção de práticas sustentáveis e a percepção de benefícios ambientais, sociais e de saúde é possível graças à garantia de preço diferenciado pago pelo algodão 100% natural e colorido. O algodão que já nasce marrom dispensa a tintura química e não desbota com o tempo. Apresenta maior produtividade, resistência a pragas. Não necessitas de grandes chuvas apenas pequenas quantidade de água já é suficiente para manter a produção. Com fios de diversos tons entre o bege e o marrom é possível obter muitas texturas naturais. Nos teares, os tecelões chegam a diferenciar o algodão colorido natural pelo tato, dado a maciez.
Países como Itália EUA e França e Japão são maiores compradores desse vasto mercado.

Nós estaremos desenvolvendo uma linha de roupas intímas femenina e masculina, como também roupas de banhos desenvolvidas com melhores estilistas do mundo da moda. Essa parceria será muito importante para o desenvimento do nosso projeto.

CAFÉ GOURMERT SUSTENTÁVEL

O projeto Oásis no Sertão acredita que será possível por meio de técnicas especiais produzir um café gourmet sustentável em pleno solo da caatinga nordestina. Gerando oportunidade de produção genuína para o consumo nacional ou para o exterior. Esse é o nosso desafio e satisfação.

Há muito tempo o café é a bebida preferida pela maioria dos brasileiros. Pelo menos, é o que dizem os números. O Brasil é o segundo maior consumidor mundial, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Aqui são produzidas 1,3 milhão de toneladas de café por ano, cerca de 30 % do mercado mundial.

O café sustentável tem se destacado como produto de boa aceitação no mercado, tanto interno como externo. O maior valor agregado tem atraído novos produtores a adotarem esse modelo de produção.

A produção sustentável na cafeicultura leva em consideração os aspectos sociais, ambientais e econômicos, incentivando a longevidade da atividade e a implementação de rotinas de valorização do trabalhador.

A cadeia produtiva do café sustentável segue regulamentação específica, com recomendações para o plantio, cuidados com a lavoura, colheita, armazenamento e torrefação. Dimensão ambiental: com a adoção de práticas que garantam a preservação dos recursos hídricos, da biodiversidade e da qualidade do ar. Deve ser cumprida a regulamentação do uso de agrotóxicos e fertilizantes, além da devida gestão dos resíduos, que podem ser utilizados para a produção de biofertilizantes.

Café continua com elevada presença firme nos lares brasileiros, com crescimento acentuado de consumo.

A pesquisa da Euromonitor contratada pela ABIC, continua mostrando uma elevada penetração do café entre os consumidores. Mais de 80% dos lares pesquisados tem café. Diante da crise, o comportamento dos consumidores tem variado com relação às marcas e tipos de café.

MANGA

Chamada de rainha das frutas tropicais, a manga tem bom potencial de vendas no varejo graças ao seu aspecto atrativo, com diferentes formas, cores, aromas e sabores, resultado dos cruzamentos de plantas que ocorrem espontaneamente no campo e que geram novas variedades.

Uma das primeiras frutas introduzidas aqui, logo após o descobrimento das terras brasileiras, a manga tem hoje o Brasil como seu terceiro maior produtor global. A produção nacional perde somente para a da Índia, de onde a planta foi trazida para cá pelos colonizadores portugueses e a da China. Além de atender ao mercado interno e por ser muito apreciada no mundo inteiro, a manga também é exportada para vários destinos, principalmente para Europa, Japão e Estados Unidos.

Entre as variedades de manga mais comuns e comercializadas no mercado interno estão bourbon, coração de boi, keit, haden, adam, extrema e outras mais rústicas, como carlota, espada, coquinho e rosinha, além de diversas conhecidas regionalmente.Tommy atkins e palmer são consideradas as melhores para exportação.

Uma das variedades brasileiras mais antigas e comuns é a manga espada, apresenta árvore é muito vigorosa, porte elevado e muito produtiva. O fruto é verde intenso ou amarelo esverdeado, de tamanho médio (em torno de 300 g), com casca lisa e espessa. A polpa tem muita fibra e coloração amarelada. Possui sabor de regular para bom (em torno de 18º Brix) e tem lugar de destaque no mercado interno

A manga do Brasil tem o mercado interno como a principal fonte de escoamento da produção. Mesmo com o grande incremento observado atualmente, as nossas exportações de manga ainda não alcançaram 10% do volume total produzido no país. No mercado nacional, a manga é comercializada quase que exclusivamente na forma in natura, embora também possa ser encontrada nas formas de suco integral e polpa congelada. A polpa pode ser empregada na elaboração de doces, geleias, sucos e néctares, além de poder ser adicionada a sorvetes, misturas de sucos, licores e outros produtos.

ACEROLA

A aceroleira (Malphigia glabra L.) é uma planta originária das Antilhas e cultivada em escala comercial em Porto Rico, Havaí, Jamaica e Brasil.

A acerola é uma das frutas mais apreciadas no Brasil. Com um teor de vitamina C cem vezes maior do que o da laranja, a acerola tem despertado o interesse de muitos consumidores e, consequentemente, tem sido uma ótima opção de cultivo para os produtores agrícolas. Um ponto bastante positivo em relação ao cultivo de acerola no Brasil são os solos em condições perfeitas para a agricultura, permitindo, inclusive, que o país seja destaque na produção mundial de frutas “in natura”.

A acerola é muito conhecida pela quantidade de vitamina C que possui. No entanto, ela ainda é composta pelas vitaminas A, B1, B2 e B3 e por diversos minerais essenciais ao bom funcionamento do nosso organismo, como o ferro, o cálcio e o potássio. Ingerir alimentos e refrescos feitos de acerola ou até mesmo a própria fruta auxilia no combate e no tratamento de alguns problemas de saúde, como gripe, anemia, estresse e infecções no pulmão e na gengiva.

A área cultivada no Brasil é estimada em cerca de 10.000 ha, com destaque para a Bahia, Ceará. Paraíba e Pernambuco, que juntos detém a 60% da produção nacional. A maior parte dos pomares de acerola é formada com mudas oriundas de sementes. Por isso apresentam grande variabilidade genética quanto à produtividade, porte, arquitetura da copa, rendimento de polpa, cor, sabor, consistência e tamanho do fruto.

Um fator importante que estimula os produtores a investirem no cultivo de acerola é o mercado consumidor interno em grande crescimento. O consumidor brasileiro tornou-se mais consciente da importância dos alimentos naturais para a saúde humana e hoje, consomem mais frutas.


O CAJU

O cajueiro é uma planta da família Anacardiaceas, sendo a sua espécie de maior importância econômica a Anacardium occidentale L. O Brasil é o quarto produtor mundial de castanha de caju, sendo precedido pela Índia, Moçambique e Tanzânia. Entretanto, no que se refere à exportação de castanhas, o Brasil ocupa o terceiro lugar.

A castanha de caju é considerada o principal produto comercial do cajueiro. Possui alto valor econômico, inclusive com o consumo bastante elevado nas mais variadas forma dos cardápios da culinária mundial, cuja demanda principalmente pelos países desenvolvidos, continua crescente. Há perspectiva favorável de ampliação no mercado interno com a diversificação dos produtos, melhoria da qualidade da produção e aplicação da rastreabilidade já que o setor estima que aproximadamente 15% da produção de amêndoa direcionam-se ao consumo da população brasileira. Não obstante o caju cultura representa grande potencial socioeconômico, sobretudo para a Região Nordeste.

O cultivo de caju, bem como a extração e o processamento de castanha, integram uma cadeia produtiva tradicional no Nordeste brasileiro, havendo registro da mesma há mais de 50 anos. As atividades de extração e processamento de castanha de caju apresentam grande potencial de geração de emprego, tanto na propriedade rural quanto na agroindústria. A geração de renda e divisas daí decorrentes é também importante, como a demanda dos mercados internacionais pelos diversos tipos de castanha. A colheita da castanha é uma atividade manual é por isso, requer utilização intensiva de mão de obra, da mesma forma que as etapas de seleção e corte das castanhas. As amêndoas, também demandam trabalhos manuais e verifica-se que mesmo a agroindústria, requer considerável quantidade de mão de obra para complementar e auxiliar em algumas etapas atualmente mecanizadas.

GOIABA

Nos últimos anos, o setor agrícola brasileiro vem incorporando, cada vez mais, às suas atividades, novas espécies de culturas, bem como, também, expandindo para outras regiões, cultivos que até então eram produzidos apenas em locais que possuem características de clima e de solos favoráveis.

Dentre os vários tipos de frutíferas, destaca-se a goiaba, que a cada dia é mais procurada e apreciada. A cultura da goiabeira, no Brasil em escala comercial, desenvolve-se do norte ao sul do país, estando entre os principais produtores mundiais. Esse grande interesse pela goiaba deve-se ao fato dessa fruta ser uma das principais matérias-primas das indústrias de processamento. Embora o consumo de frutas frescas ainda seja superior ao de produtos industrializados, as vendas de produtos processados vêm aumentando dia a dia no mercado brasileiro.

A produção de goiabas permite várias formas de aproveitamento dos frutos produzidos. Quando cultivada sob irrigação, pode produzir mais de uma safra por ano. Portanto, trata-se de uma cultura que oferece bons resultados, não só com a comercialização no mercado interno, mas também no mercado exportador, com boas perspectivas de negócios com a Europa e América do Norte. Dinamarca, Canadá, Suécia, Holanda, Alemanha e, principalmente, Inglaterra e França, já vêm importando goiabas brasileiras para o consumo “in natura”. O mercado tem emitido sinais de que ocorrerão ainda grandes exportações de polpa e frutas frescas para esses países nos próximos anos.

A goiaba se destaca entre as frutas tropicais, por sua excelente qualidade, que pode ser atribuída a alguns fatores importantes: seu elevado valor nutricional, como uma das melhores fontes de vitamina C, alto conteúdo de açucares, vitaminas A e do complexo B, além de conter bons teores de fósforo, ferro e cálcio; excelentes propriedades organolépticas, por possuir um moderado sabor e aroma característicos e alto rendimento por hectare; e polpa com elevada capacidade industrial, que permitem o seu múltiplo aproveitamento, como por exemplo, para doces, fruto em calda, geleias, néctar, sorvete e bases para xaropes e bebidas.


UVA 100% NATURAL

A vitivinicultura, produção de uva e vinho, é uma atividade conduzida e apreciada pelo homem há milhares de anos.

A produção de uvas envolve uma grande gama de atividades ao longo do ciclo produtivo. Demanda bastante conhecimento técnico do produtor ou a assistência de um profissional com experiência comprovada.

As uvas finas para vinho ou mesa englobam variedades da espécie Vitis vinifera L. de origem europeia, que são sensíveis às doenças fúngicas e altamente exigentes em tratos culturais.

As uvas sem sementes ou apirenas são muito apreciadas para o consumo ao natural. Observa-se a ausência completa ou presença apenas de vestígios de sementes nos frutos. Geralmente são da espécie Vitis vinifera ou híbridos desta espécie com outras.

Os critérios que determinam o ponto ótimo de maturação para uvas destinadas à elaboração de vinhos, visando a obtenção de máxima qualidade, são a medida do teor de açúcar, a conjugação da medida de açúcares e ácidos e pH.

A uva é rica em carboidratos e vitaminas, como tiamina, riboflavina e vitamina C. Os minerais presentes são cálcio, fósforo, magnésio, cobre em maior quantidade, potássio.

A produção nacional de uva de mesa é destinada ao mercado doméstico e internacional. A produção de vinhos, suco de uva e derivados do mercado está concentrada no Rio Grande do Sul, onde são elaborados 300 milhões de litros de vinho e mosto como média anual, representando 95% da produção nacional.

O mercado brasileiro, apesar das nossas exportações, é importador de uva e seus derivados. Há, portanto, espaço para novos produtores ampliarem a oferta nacional, desde que os parâmetros de eficiência e qualidade sejam observados.

Vamos obter em pleno sertão uma uva de qualidade por excelência e produzir uma vinícola diferenciada pela qualidade na fabricação de vinhos de origem do Oásis do Sertão. Nossos vinhos serão produzidos em alto padrão em qualidade e excelência. Faremos uma vinícola 100% natural. Buscando todos os elementos necessários para elevar o nível de teor máximo em produção diferenciada.

CASTANHA DO PARÁ

A castanha do Pará é um alimento especial, que contém diversas propriedades que beneficiam nossa saúde, sendo rica em alguns componentes importantes para o bom funcionamento do nosso organismo, como as fibras, cálcio, proteína, ferro, potássio, selênio, vitaminas, ácido fólico e zinco.
Estudos do pesquisador Felipe Santos Nunes, do programa de pós-graduação em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais do Instituto de Geociências (IGC), revelam que a atividade de extração da castanha do Brasil é também uma alternativa eficiente para evitar a destruição da Floresta Amazônica.

Segundo Felipe Nunes, os dados demonstram que a extração da castanha do Brasil, quando realizada com os subsídios necessários, é rentável e contribui para a preservação da Floresta Amazônica. Ele explica que, como a renda com a castanha beneficiada. Os coletores não precisariam obrigatoriamente recorrer a outras atividades durante o ano, após o período de extração, para aumentar a renda familiar, como a pecuária e a agricultura.

A frutinha apresenta uma alta concentração de gordura, mas que não é maléfica. “São gorduras boas, monoinsaturadas (mesma do azeite) e poli-insaturadas. Por conta disso, ela tem propriedade antioxidante” De acordo com a profissional, isso significa que há um combate às inflamações do organismo e as células funcionam muito melhor, sem acumular gordura. O resultado: a castanha do Pará emagrece, o corpo se mantém em forma e a circulação sanguínea acontece de maneira muito mais saudável, evitando as doenças cardiovasculares.

Ela também é indicada para vegetarianos, já que é fonte de proteínas. A quantidade de cálcio e magnésio presente também garante a síntese de massa óssea perfeita e faz muito bem aos ossos. E, como se não bastasse, ainda auxilia no bom funcionamento da tireoide e do cérebro.

Mais do que tudo isso, a castanha do Pará evita o câncer por ser fonte de selênio, mineral que produz o antioxidante glutationa peroxidasse, importantíssimo para combater radicais livres e eliminar toxinas do organismo. “Estudos apontam que há uma relação entre quantidade de selênio na dieta e o risco de câncer. Quanto menos selênio, o risco de câncer aumenta”.

MARACUJÁ

Maracujá (do tupi mara kuya, “fruto que se serve” ou “alimento na cuia”) é um fruto produzido pelas plantas do gênero Passiflora (essencialmente da espécie Passiflora edulis) da família Passifloraceae. O nome da árvore é também conhecido como Maracujazeiro: é espontâneo nas zonas tropicais e subtropicais da América.

Cultivada também pela sua flor ornamental (tal como as outras espécies do mesmo género botânico), a Passiflora edulisé cultivada com fins comerciais, devido ao fruto, no Caribe, no sul da Florida e no Brasil, que é o maior produtor e também consumidor mundial de maracujá. O maracujá de uso comercial é redondo ou ovoide, amarela ou púrpura escura quando está maduro e tem uma grande quantidade de sementes no seu interior.

O fruto é utilizado especialmente para produzir suco ou polpa de maracujá, às vezes misturada ao suco de outros frutos, como a laranja. É popularmente conhecido como a fruta da tranquilidade.

A flor do maracujá é polinizada principalmente por abelhas grandes, conhecidas popularmente como mamangava. Este fruto é fonte de vitaminas A, C e do complexo B. Além disso, apresenta boa quantidade de sais minerais (ferro, sódio, cálcio e fósforo).

Sua utilização como sedativo é conhecida desde a antiguidade, entretanto essa não é sua única utilização, pois pode ser utilizada como calmante, hipnótico, sonífero e tonificante (DHAWAN, ET. 2004). O Óleo de Maracujá tem uma aplicação muito variada na indústria cosmética: cremes, xampus, loções, óleos, sabonetes, etc. O óleo também pode ser usado tanto na alimentação humana e animal, quanto na indústria de tintas, sabões, alimentos e outras.

Enquanto produto cosmético a base de óleo de maracujá, este auxilia na regeneração pós-peeling e ajuda amaciar e hidratar peles secas. Produtos a base do óleo do maracujá proporciona sensação relaxante e ante-estresse, também contra estrias.

Comercialmente é um dos frutos mais consumido e procurado no Brasil principalmente pelo seu delicioso suco. Fonte geradora de recursos e bons lucros de grande procura de mercado.

ALOE VERA BABOSA

De origem africana, a babosa pertence à família das Liliáceas e é parecida com o cacto. Também é chamada de caraguatá, erva babosa e aloés. Quando adulta, produz de 15 a 30 folhas por ano. Elas são carnosas, firmes e quebradiças, com um líquido viscoso e macio. Na ponta contam com bordas cheias de espinhos. É preciso ter cuidado para não se cortar.

O cheiro forte que a babosa exala pode afastar os mais sensíveis. Mas a planta contém excelentes propriedades indicadas para o tratamento estético, além de constituir-se em um medicamento sem igual para aliviar problemas na pele, como acnes e queimaduras. Planta com função fitoterápica, a babosa conta com mais de 300 espécies, mas a aloe vera é a que possui maior valor comercial entre todas.

Atualmente, sobressai a presença de babosa importada no mercado brasileiro. O cultivo da planta não requer muito trabalho; o principal cuidado que se deve ter com a cultura. Os maiores produtores são o interior de São Paulo (particularmente o município de Jarinu), Santa Catarina e Nordeste.

Da babosa é possível obter diversos produtos de uso cosmético e medicinal, pois ela é um ótimo bactericida, cicatrizante e tem capacidade para reidratar os cabelos e a pele. Mas a planta, que permanece mais de dez anos em produção.

O cultivo segue a linha da agricultura orgânica e tudo o que é colhido vai para as indústrias do setor de cosméticos, onde a planta é usada para fabricar xampus, condicionadores, cremes e vários outros produtos. A babosa é conhecida pelas propriedades hidratantes e no tratamento de queimaduras e doenças de pele.

CITRONELA

As espécies de citronela são perenes, possuem crescimento ereto, podendo atingir até um metro de altura, além de apresentarem folhas bastante longas e um cheiro característico de limão e eucalipto. Outra característica importante é a formação de touceiras densas, que lembram muito o capim-limão. A citronela, em virtude de suas propriedades aromáticas, é muito usada no mercado de produtos naturais, principalmente na fabricação do óleo de citronela. Esse óleo é muito usado como repelente de insetos, propriedade atribuída à presença de substâncias como o citronelal, eugenol, geramiol e limoneno. É importante destacar que o poder de repelente da citronela é capaz de afastar inclusive o mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti e chikungunya. Sendo, portanto, uma opção para a proteção contra a doença. Além dos óleos, são usados velas e incensos de citronela também como repelentes.

Além de funcionar como repelentes algumas pesquisas confirmaram a ação carrapaticida dessa planta, bem como a ação inibidora de fungos e nematódeos. O óleo essencial da citronela também é usado para fins de perfumaria e cosméticos. Na medicina popular, a citronela é utilizada como anti-inflamatório e antirreumático.

A citronela pertence ao gênero Cymbopogon, o mesmo gênero do capim limão, o que gera confusão na identificação da espécie por leigos. Apesar de ter aparência semelhante à do capim limão, a citronela pode ser diferenciada por meio do cheiro. O capim limão, como o nome sugere, possui um aroma que lembra o de limão; já a citronela possui um cheiro que mistura o limão e o eucalipto.

LIMÃO

Fruta das mais populares do mundo, o limão, em seus mais diversos tipos, reserva ricas fontes nutricionais para a nossa saúde. As versões mais consumidas no Brasil são: taiti, cravo, galego e siciliano. Conheça um pouco das características de cada uma e seus benefícios.

Uma das frutas mais poderosas utilizadas na gastronomia, tanto em receitas doces como salgadas, a variedade de limões existentes chega, aproximadamente, a uma centena de espécies em todo mundo. Rica fonte de vitamina C, o alimento é importante aliado a nossa saúde. Por isso, selecionamos os quatro tipos mais consumidos atualmente no Brasil para apresentar suas características e benefícios.

Thaiti – É o menos ácido e o mais encontrado no país. Para identificá-lo no mercado é fácil: a casca é fina e é aquele que tem poucas sementes, com formato mais arredondado. Por ser bastante suculento, é ideal para limonadas e drinks como a caipirinha.Cravo ou caipira. Ele tem sabor e aroma bem característicos e é também conhecido como limão rosa. A casca é alaranjada e tem nervuras.

Galego – É aquele “limão” menor, com a casca mais fina e verde clara, de formato bem arredondado. Mas não se engane pelo tamanho, apesar de pequeno é bem suculento. A acidez não é muito forte, o que torna esse tipo indicado para uma variedade grande de receitas: sorvetes, molhos, tempero, drinques, doces e sucos.

Siciliano – Esse é o “verdadeiro” limão! O mais antigo do mundo, é também conhecido como eureka ou lisboa. Sua casca é amarelada e bem grossa, e seu formato é alongado. Ele não é muito suculento como os outros e seu sabor é bem ácido, o que faz dele matéria prima ideal para molhos e para saborear pratos. Cheios de personalidade como risotos. Tem uma procura e um mercado extraordinário.

ESPIRULINA

A espirulina Arthrospira P’lantesis é um dos suplementos alimentar naturais mais complexo adotado pela dieta da NASA. É conhecido atualmente como uns dos suplementos alimentar natural mais complexo. Tem uma das combinações nutritivas jamais obtidas em qualquer outro tipo de alimento. É reconhecido pela a NASA como super alimento do futuro com inúmeros benefícios a saúde humana, e tem superado muitos resultados em pesquisas.

A ESPIRULINA é uma planta pluricelular que se origina da família de algas azul e verde é assim chamada devido sua forma espiral. Como as plantas, ela cresce em águas alcalinas ricas em minerais, capaz de fazer fotossíntese.

É uma das primeiras formas de vida concebidas pela natureza há mais de 3.6 milhões de anos atrás. A espirulina contém uma sabedoria evolutiva no seu DNA é o fruto da primeira forma de vida fotossintética da terra.

A Espirulina é uma das maiores fontes conhecida de proteína chegando aproximadamente 70%. Rica em vitamina B12, com cerca de 3 microgramas por grama. Ela também é bastante conhecida com maior quantidade de betacaroteno um nutriente extremamente importante sendo um poderoso antioxidante e é muitas vezes convertido em nosso organismo como pró-vitamina A. Ela fornece uma variedade de outros nutrientes essenciais, tais como as vitaminas E, B1, B2, B3, B5, B6, B7, B9, K1 e K2 e minerais tais como cálcio, bastante ferro, fósforo, iodo, magnésio, zinco, selênio, cobre, cromo e potássio. Carboidratos, betacaroteno (importante oxidante que protege o organismo contra os males dos radicais livres) Ficocianinas um antioxidante azul que fortalece a resistência do organismo ao perseguir os radicais livres que danificam e envelhecem o organismo. Polissacarídeos: Aumentam a produção pelo organismo de anticorpos. Pesquisada por vários anos no Japão, França e EUA, a espirulina é saudada como uma das maiores descobertas no campo da alimentação naturalista deste século. Seu alto valor nutritivo sacia a necessidade proteica e completa quase toda necessidade alimentar do nosso organismo. Em busca de uma alimentação saudável e benéfica, a organização mundial de alimentos, promoveu a espirulina como um suplemento mais benéfico à saúde e completo existente na natureza. A NASA além de fazer analise no seu programa alimentar, adotou como fonte de suplemento para seus astronautas desde anos 80 ate a atualidade.


ESPIRULINA É CONSIDERADA O MILAGRE DA NATUREZA.
SUAS RICAS PROPRIEDADES COM EFEITO PODEMOS DESTACAR OS SEGUINTES BENEFÍCIOS:

ESPIRULINA é indicado contra cansaço e stress devido a vida atarefada da atualidade e a mau alimentação. O cansaço pode tornar-se quase inevitável, provocando desanimo, mal estar, fadiga e stress. Podendo chegar até mesmo ao esgotamento físico e mental. Nestes casos é bastante indicado o uso da espirulina, devido seu complexo proteico. Para restabelecer o índice normal de energia e purificação de toxinas ao organismo, gerando força e suplementos nutritivos necessários ao corpo. Além de vitalidade e uma qualidade de vida muito mais saudável. O médico J.L. Vidalo do Instituto Hipocampo, explicou que a estrutura molecular da ficocianina é quase similar à da eritropoetina do coração da hemoglobina humana. Ela permite ao organismo conservar reservas de oxigênio no interior do glóbulo vermelho e proporciona a ele um funcionamento mais confortável mesmo em situações de esforço intenso.

Ótimo energético e suplemento alimentar. O uso da espirulina é excelente para praticante de musculação, atletas e vegetarianos. Suplemento natural, uma fonte riquíssimas em vitaminas e minerais, podendo alcançar até 70% de proteínas. Auxilia nos exercícios físicos gerando energia, eliminando gorduras, regenerando os músculos. Aumenta de forma significativa a massa muscular. Tira o cansaço, dores, modela o corpo de forma saudável. Limpa as toxinas, repõe nutrientes ao organismo gerando mais força e disposição.

Benefícios da espirulina para pessoas da 3° idade. Geralmente os idosos apresentam uma deficiência muito grande na parte de nutrientes, devido a dietas rigorosas ou por problemas digestivos. Com isso o organismo fica mais fragilizado diante do desgaste natural dos órgãos e por não haver uma alimentação suficiente equilibrada. A espirulina por conter bastantes proteínas e propriedades rejuvenescedoras, fácil de ser absorvidas. É rica em vitamin-B12 que combater a anemia, fadiga, depressão e falta de memória. Gera energia vital ao bem estar do individuo. Possui grande concentração de cálcio essencial para o crescimento e manutenção de ossos e dentes fortes.

Também é importante para os nervos saudáveis e boa circulação. A espirulina ainda ajuda no combate a atrite, colesterol elevado, diabetes tipos 2, problemas no fígado, anemias, pressão arterial. Além se ser um substituto seguro da carne. O uso regular previne bastantes doenças degenerativas como mau de Alzheimer, e Parkinson, entre outras diversas doenças mais sucessivas as 3º idade.

Espirulina auxilia na perda de peso. Para pessoas que fazem dietas alimentar a espirulina contribui de forma significativa para a reposição de nutrientes como as proteínas, vitaminas e minerais. Ajuda a perder peso consideravelmente por seu agente emagrecedor como a fenilalanina, clorofila, e polissacarídeos atual no estômago gerando sensações de estar bem saciado, inibindo o apetite e atuando contra as gorduras localizadas. Nutrindo o corpo sem apresentar sinais de fraquezas. Naturalmente todo redutor de peso auxilia melhor com dietas sustentáveis e com bons exercícios físicos.

Prevenção contra o câncer. Os potentes antioxidantes na espirulina acredita-se que pode ajudar a reduzir o risco de câncer. Espirulina teve resultados e efeitos antitumorais em estudos laboratoriais com camundongos. em 2009 uma equipe de pesquisa chinês, publicou em “Biomedicina e Farmacoterapia” que sugeriria em combinação com selênio poderia ajudar a prevenir o câncer de mama. Além disso, estudos base têm encontrado que pode ter um efeito significativo sobre o câncer do fígado, diminuindo a ocorrência de tumores no fígado a partir de 80% a 20%. Jian-Hong Li da China mostrou que os polissacarídeos da espirulina são muitos eficazes e entres as numerosas funções que podem realizar destacou a melhora da imunidade, estimulação das células não especializadas hematopoiéticas, inibição de tumores e das células de Hela.

A espirulina é antioxidante. Função pela a qual retarda o envelhecimento das células. Oferecendo longevidade, qualidade de vida e saúde. Gaydou da França ressaltou as propriedades antioxidantes (antienvelhecimento) da espirulina por causa do seu teor em ficocianinas e alocianinas. São propriedades fundamentais para combate a ação dos radicais livres que provoca intoxicação e envelhecimento das células.

Combates às infecções. Atua contra as infecções também possuem propriedade cicatrizante e anti-inflamatória. Estudos em laboratório descobriram que ela ajuda na destruição de bactérias e vírus. A. Belay dos Estados Unidos da América afirmou que a espirulina pode regular favoravelmente o sistema imunitário aumentando a ativação dos macrófagos, a atividade das células T e a atividade das células naturalmente destrutivas. Ele também demonstrou que a espirulina aumenta a produção de gama interferon, o que pode eventualmente inativar os vírus, que a água extraída da espirulina tem uma atividade antiviral contra o vírus HIV-1 (vírus humano da imunodeficiência) e o vírus simplex da herpes (HSV-1) e ainda que os polissacarídeos sulfatados polianiônicos da espirulina são também potenciais candidatos microbicida ao vírus HIV.

Saúde respiratória. Vários estudos descobriram que a espirulina podem ajuda a fornecer um alívio para pessoas que sofrem de doenças respiratórias. Um estudo de 2001 publicado no “jornal de alimentos funcionais descobriu que apenas 1 grama de espirulina por dia pode ajudar a melhorar a função pulmonar.

Saúde dos Olhos – Estudos mostraram que a espirula podem conter compostos que ajudam a prevenir doenças oculares relacionadas à idade, como degeneração ocular, inclusive combate a catarata.

A espirulina previni anemia ferropriva e perniciosa. Por ser rica em vitamina B12 e por possuir bastante ferro a espirulina e um alimento natural com propriedades extraordinária contra a anemia. Corrige a mau formação das células vermelhas melhora o sistema imunológico. A Espirulina mostrou ser capaz de estimular a produção de anticorpos contra o organismo patogênicos que afetam no sistema imunitário. Os testes em animais confirmam que ela pode combater as infecções e doenças crônicas estimulando o sistema imunológico.

Proteçao do fígado. Estudos preliminares em animais mostraram que a Espirulina ajuda a proteger o fígado contras inflamações, diminui o acumulo de gorduras, também protege contra danos tóxicos e metais como chumbo e mercúrio.

Diabete tipo 2. A espirulina podem ajudar no tratamento de diabetes tipo 2. Diminui a inflamação sistêmica, o que pode ajudar a reduzir a resistência á insulina.

Saúde do coração. A espirulina pode melhorar a saúde cardiovascular, em uma variedade de formas. Ela ajuda a melhorar o funcionamento e a vida útil do coração. Inibe a hipertensão e aumenta a elasticidade dos vasos sanguíneos. Diminui a tensão arterial. Tem sido bastante eficaz contra a hipertensão e aterosclerose que e o acumulo de placas de gorduras nas artérias. Além disso, ela pode alterar o perfil lipídico e aumentar o HDL ”Bom Colesterol”

Saúde do Cerebro – As propriedades antioxidantes presente na espirulina ajudam a combater o Stress no cérebro e do sangue, estimula as células criar novo sangue. Geralmente pessoas vegetarianas apresentam deficiência de vitaminas podendo provocar anemia por fazer uma dieta vegetariana desbalanceada. A anemia ferropriva e causada pela a deficiência de ferro no sangue. A anemia Perniciosa caracterizada pela redução no número de glóbulos vermelhos, ocasionado também pela falta de vitamina B12.

Doenças causadas pela quimioterapia. Espirulina vem superando doenças causadas pela quimioterapia com suplementos nutricionais Em vários países como EUA. Itália, China, e Japão. Os pacientes com câncer que estão sendo submetidos a quimioterapia ou radioterapia os quais grandemente afetam o sistema imunológico, podem ser beneficiados com o uso da suplementação de fator de transferência. A suplementação de fator de transferência serve para proteger o corpo de infecções “oportunistas”, que geralmente ocorrem durante esses tratamentos. Os cientistas na China também têm demonstrado que extrato de espirulina aumentou o nível de glóbulos brancos no sangue e de células nucleadas e DNA na medula óssea de ratos que tinham sido submetidos à quimioterapia e radiação.

Uso em Animais. Em cães; O extrato de espirulina, adicionalmente, aumentou o nível de glóbulos vermelhos. Os autores concluíram que a espirulina “tem capacidade quimio protetoras e de rádio proteção, e pode ser um complemento potencial para terapia de câncer.” Dr. Duane

Townsend, ex-diretor de oncologia ginecológica no Hospital LDS, na cidade de Salt Lake, EUA, dispõem a todos os seus pacientes com câncer o tratamento com fatores de transferência para estimular as capacidades de seus sistemas imunológicos a responder a quaisquer desafios de saúde. Informações do instituto cura do câncer.
Projeto Oasis do Sertão – Brasil 2016 64

PARECE INCRÍVEL MAS A ESPIRULINA SUPERA EM SUAS PROPRIEDADE MUITOS ALIMENTOS IMPORTANTES COMO:

– Em Proteína, uma porção dela equivale a 5,5 porções de leite.
– 5 Porções de ovos,
– 20 de Espinafre
– 50 de Cenoura.
– Em teor de vitamina A, uma grama de espirulina equivale a:
– 3000 Gramas de Leite,
– 400 Gramas de Ovos,
– 100 Gramas de Espinafre
– 50 Gramas de Cenoura.
– Em ferro, uma porção dela equivale a até.
– 1000 de Leite, até.
– 300 de Ovos, até.
– 200 de Espinafre
– 1200 de Cenoura.
– Possuindo de 58 até 70 % de Proteína
– 28 x ferro do que Fígado de Boi.
– 4 x mais Proteínas do que Carne Vermelha
– 12 x mais Cálcio do que Leite de Vaca
– 24 x mais Antioxidantes do que o chá Verde,
– 8 Vezes mais Carotenos do que a Cenoura, o Caroteno da a tonalidade a cor larranja.
– 1 Grama de Espirulina em teor de proteína equivale:
– 18 gramas de leite
– 5 Gramas de ovos
– 20 gramas de espinafre
– 50 Gramas de Cenoura
– 1 grama de Espirulina equivale a até:
– 1 Litro de Leite,
– 300 Gramas de ovos,
– 200 Gramas de espinafre
– 1200 Gramas de cenoura.

Queremos tornar pública no mercado nacional as propriedades benéficas da espirulina. Ela combate os índices da desnutrição elevada. Vamos fazer a população ser informada dos poderosos benefícios que ela traz a saúde humana e dos animais.


MANDIOCA

A mandioca é uma raiz da espécie Manihot Esculenta, possui alto valor energético (cada 100 gramas possui 150 calorias). Possui sais minerais (cálcio, ferro e fósforo) e vitaminas do Complexo B. Possui uma casca fina na cor marrom, sendo que a parte interna é branca. De janeiro a julho ocorre o período de safra da mandioca.

A farinha de mandioca é um dos componentes essenciais da dieta da população brasileira, notadamente das regiões Norte e Nordeste. A partir da raiz da mandioca são produzidas as farinhas.
De acordo com a região do Brasil ela possui nomes diferentes: macaxeira, aipim, castelinha, macamba etc.

A farinha de mandioca é muito utilizada na culinária brasileira. A tapioca é um alimento de
origem indígena, é produzida com a farinha de mandioca. O polvillho também é produzido a partir da mandioca.

O Brasil ocupa a segunda posição na produção mundial de mandioca, com 12,7% do total. Em 2016, os preços recebidos pelos produtores paulistas de mandioca industrial são os mais elevados dos últimos cinco anos, refletindo a grave estiagem que assola a região Nordeste do país há mais de um ano.

A farinha de mandioca é consumida intensamente na culinária brasileira, participando como fonte importante de carboidratos na dieta. Em algumas regiões onde condições sócias econômicas impõem restrições a uma dieta balanceada, esta fonte de carboidrato se apresenta talvez como a única fonte de nutrientes para o consumo. E um dos alimentos mais agressivos no combate a desnutrição.
Ela é usada em diversos tipos de culinária, é companhia obrigatória do feijão e do churrasco, com ela se faz farofa, pirão. É um alimento rico em carboidratos e fibras e, quando integral, contém um pouco de proteína, cálcio, fósforo, sódio e potássio.

A tecnologia de fabricação da farinha é simples, mas exige alguns cuidados no seu desenvolvimento. A seleção da matéria-prima adequada, a higiene e os cuidados durante todo o processo de fabricação, são fatores fundamentais para garantir um produto de qualidade, a qualidade de vida dos trabalhadores e a proteção do meio ambiente.

Faremos uma fabrica de goma ou polvilho, essencial para fazer a tapioca. Uns dos alimentos mais saudáveis, livre de agentes químicos sendo essencial na culinária do nordeste do Brasil. Também usaremos a mandioca para ração animal. Fabricaremos uma ração bastante balanceada e com alto teor de nutrientes benéficas também para aves e animais.


CANA DE ÁÇUCAR

A cana de açúcar é conhecida por suas características peculiares: uma planta fina de formato cilíndrico, folhas grandes e pode alcançar até seis metros de altura.

É com ela que se faz dois produtos essenciais para a economia mundial, o açúcar, parte indispensável da alimentação humana e o álcool, utilizado nas bebidas alcoólicas como a cachaça, o vinho e a cerveja, ou como combustível para abastecer os carros, também conhecido como etanol.

Desejamos produzir uma mini usina de açúcar mascavo, produto natural de excelente procura essencial na alimentação humana.

Também faremos uma fabrica de vinagre natural através da cana de açúcar. Produto muito consumido, bastante vendável, fonte de renda autossustentável.

Oasis do Sertão planeja fabricar umas nas melhores cachaças com finalidade de expandir para o mercado internacional. Produziremos uma cachaça premio pura de teor único.

O mercado de exportação de cachaças brasileiro ainda é relativamente pequeno, sendo que apenas 1% dos 1,2 bilhão de litros produzidos anualmente no país é exportado, resultando em um faturamento de US$ 19,2 milhões por ano.

Atualmente, apenas 9% dessas exportações vão para os Estados Unidos, que está em quarto lugar no ranking de países que mais importam a cachaça brasileira, perdendo para a Alemanha, Paraguai e Portugal. Outros países que importam o produto são como China, Itália, Uruguai, Nova Zelândia e França.

O nome “cachaça” brasileira foi reconhecido como um produto genuinamente pelos Estados Unidos. Isso significa que agora o termo cachaça figura como uma nova categoria do ramo de bebidas alcoólicas.

A caipirinha (mistura de cachaça, limão, açúcar e gelo) se tornou sensação entre os americanos bastante consumida com satisfação e bom gosto.

CRIAÇÃO DE PEIXE

A criação de peixes em cativeiro começou com os Sumérios por volta de 3000 a.C. No antigo Egito por volta de 1700 a.C., além de alimentação, eram feitos estudos observando o comportamento dos peixes em tanques de argila cozida. Os sacerdotes egípcios podiam prever as cheias e secas do Rio Nilo, base de toda sua civilização, ao observar as mudanças de comportamento que os peixes apresentavam.

A piscicultura pode ser encontrada tanto na forma de cultivo de peixes marinhos quanto de peixes de água doce.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação – ONU/FAO, enquanto a demanda mundial por pescado cresce em ritmo acelerado, as possibilidades de expansão da captura pesqueira estão caminhando para a extinção de algumas espécies.

Diante dessa realidade da escassez de pescados, surge então a criação de peixes em cativeiro (piscicultura), tanto peixes para alimentação quanto decorativos para aquários. Estima que o único caminho para garantir a produção de pescados para alimentar a população mundial venha a ser atendida via piscicultura.

Uma empresa de criação de peixes deverá ser concebida com visão profissional, desde o seu projeto embrionário, o que irá requerer uma avaliação objetiva sobre a forma de atuação, bem como as expectativas comerciais que esse tipo de empreendimento requer.

O sertão falta opção para um grande volume de consumo de peixes devidos a escassez de chuva e o nível baixo dos rios. A procura e muito grande mais o abastecimento não atende a população.

O projeto Oásis do Sertão vem com finalidade de poder mostrar que esse quadro pode ser mudado com perfuração de poços profundos. E usando métodos avançados. Iremos fazer a conservação de 25 espécies dos peixes ameaçados em extinção. Também criaremos os melhores peixes de consumo considerado os mais nutritivos do mundo que se adapta a necessidade da região.

PEIXE TILÁPIA

O peixe de água doce chamado Tilápia é conhecido popularmente com o mesmo nome. Nome científico Tilapia rendalli.

A Tilápia habita águas lentas de lagoas e represas. É Adaptável à água salgada. Elas alimentam de insetos, micro crustáceos, sementes, frutos, raízes, algas, plâncton e pequenos peixes.

A reprodução ocorre a partir dos seis meses de idade, sendo que a desova pode ocorrer mais de quatro vezes por ano. Como protege a prole, o índice de sobrevivência da espécie é bastante elevado.

A Tilápia é um peixe de escamas, com corpo um pouco alto e comprimido. Possui coloração verde-oliva prateada, com sobras verticais negras. A cor da nadadeira dorsal também é verde-oliva, com uma linha vermelha e branca até cinza-escuro com pontos oblíquos. Já a nadadeira caudal é pontuada na porção dorsal, vermelha ou amarela na porção ventral. Pode atingir 45 cm de comprimento e 2,5 kg de peso.

A tilápia é um delicioso peixe que tem uma grande variedade de benefícios para saúde, incluindo a sua capacidade em ajudar a reduzir o peso, aumentar o metabolismo, acelerar a reparação e crescimento em todo o corpo, construir ossos fortes, reduzir o risco de várias doenças crônicas, equilibra os níveis de triglicérides, prevenir a artrite, proteger contra o declínio cognitivo, prevenir vários tipos de câncer, reduzir os sinais de envelhecimento, melhorar a saúde do seu cabelo, e fortalecer seu sistema imunológico.

A tilápia é altamente valorizada como fonte de frutos do mar, devido às suas muitas qualidades, que são atribuídas a sua riqueza de nutrientes. tais como vitaminas e minerais, incluindo quantidades significativas de proteínas, omega-3 os ácidos gordos, Selênio, Fósforo, Potássio, vitamina
B12, Niacina, Vitamina B6, e Ácido pantatênico.

Tilápia é fundamental para o crescimento e desenvolvimento do organismo humano: Um dos aspectos mais importantes da Tilápia é o seu teor impressionante de proteína, tornando-se mais de 15% da nossa necessidade diária. São uns dos peixes mais indicado no combate a desnutrição. Bastante recomendado para regiões que apresenta carência de alimentos suficiente para a população.

PEIXES DE AGUA DOCE AMEAÇADOS DE EXTINÇAO

NOME POPULAR E CIENTIFICO

– Andira, Anjira
– Henochilius whetlandii
– Bagre, Jundiá Rhamdia
– Jequitinhonha Bagrinho Rhamdia microcephaa
– Cambeva Itacarambiensis
– Canivete Characidium lagosantensis
– Cascudo Delturus parahybae
– Cascudo Hemipsilichthys mutuca
– Cascudo Pogonopoma parahybae
– Ituí Stermarchorhynchus britskii
– Joaninha Crenicichia jupiaiensis
– Pacu-prata Myleus tiete
– Piabanha Brycon devillei
– Piabanha Brycon insigni
– Piau Leporinus thayeri
– Pirá, Pirá-Tamanduá Conorhynchos conirostris
– Piracanjuba, piracanjuva
– Brycon orbygnyanus
– Pirapitinga Brycon nattereri
– Pirapitinga, Pirapitinga-do-Sul Brycon opalinus
– Surubim Steindachneridion amblyura
– Surubim Steindachneridion scripta
– Surubim-do-doce Steindachneridion doceana
– Surubim-do-paraíba Steindachneridion parahybae
– Steindachneridion parahybae

AQUICULTURA-CRIATÓRIO DE CAMARÃO DE ÁGUA DOCE

Os aquicultores brasileiros têm na criação de camarão de água-doce uma opção para realizar o manejo do crustáceo em qualquer lugar país adentro. Sem se limitar à costa litorânea, a prática em tanques escavados permite a pulverização da atividade pelo interior do território nacional, reduzindo custos logísticos e obtendo preços mais competitivos para as vendas do produto no comércio local.
Pequenos produtores e com pouca experiência, inclusive, podem se beneficiar da criação fazendo dela uma fonte de renda extra. Lidar com o camarão de água doce não tem muitas exigências e o seu manejo pode ser realizado em sítios e chácaras, desde que tenham condições adequadas, como espaço para um ambiente aquático e temperatura da água acima de 20°C durante, pelo menos, seis meses consecutivos.
Em cativeiro é comum o uso de viveiros escavados com o fundo natural de terra área na qual o crustáceo habita e também se alimenta. Sem sistema de drenagem eficiente, represas e açudes são opções descartadas, pois precisam ser esvaziados para realizar a despesca total, retirada de todos os camarões no fim da fase de engorda.
No entanto, caso ainda não tenha na propriedade, a construção de tanques deve ser providenciada, sendo que a obra implicará uma recuperação do capital investido a longo prazo. Terreno plano, com solo argiloso e disponibilidade de água corrente e de qualidade são outros fatores importantes para o sucesso do manejo.
A criação do crustáceo também tem boa adaptação ao sistema integrado de cultivo com peixes, diversificando a produção e ampliando as oportunidades de mercado ao empreendedor.
No policultivo, o camarão de água-doce ainda consome parte dos resíduos gerados pelos peixes e os restos de ração, sem a necessidade de alimento específico em viveiro com três a seis camarões por metro quadrado.
Entre cinco e seis meses de vida, o camarão atinge de 25 a 30 gramas, peso ideal para iniciar a comercialização. Pós larva, resultado da evolução das ovas em dois meses, é outro produto que serve para abastecer novos criadores. Atualmente, o mais indicado para cativeiro é o camarão da malásia (Macrobrachium rosenbergii), que tem sabor mais leve em relação ao camarão de água salgada. Também conhecido como pitu e lagostim de água doce, tem produção destacada nos Estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo.
Adicionaremos ao projeto um criatório de camarão de água doce. A comercialização e de grande procura no mercado. É um produto de fácil aceitação e importante para a região.

APICULTURA

Desde os primórdios, o mel produzido pelas abelhas vem sendo utilizado pelo homem, tanto para adoçar alimentos como para melhorar os remédios. No entanto, somente em 1851, Langstroth, um apicultor americano, formou a base da apicultura moderna com a descoberta do ESPAÇO ABELHA, que é de 6 mm a 9 mm, o que permite às abelhas trabalharem em ambos os lados dos favos, sem prejudicar suas atividades. Esse apicultor foi o responsável pela invenção da colmeia Americana, muitoutilizada no mundo inteiro, até a atualidade.
Embora a produção de mel seja a base econômica da apicultura atualmente, criar abelhas também se destina à polinização agrícola e à produção de própolis, pólen, geleia real e apitoxina. Esses produtos servem de matéria-prima para as indústrias farmacêuticas, alimentícias e cosméticas. Além disso, também são bastante procurados para o consumo in natura.
O Brasil é uma grande potência melífera, pois apresenta características especiais de flora e clima. No entanto, a produtividade brasileira ainda se encontra reduzida, quando comparada com a produção internacional. A baixa produtividade dos apiários brasileiros se explica pela pouca utilização de recursos tecnológicos na produção. Este mercado está avaliado em 360 milhões de dólares, com o número de apicultores tendo aumentado 4,5% nos últimos dez anos, segundo estimativas da Confederação Brasileira de Apicultura.
O mercado apícola brasileiro possui alto potencial de crescimento e encontra-se em fase de ascensão. Antigamente, a produção do mel brasileiro era praticamente toda destinada para o mercado interno. Há pouco tempo, fatores externos acabaram beneficiando a apicultura nacional, fazendo com que ocorresse uma surpreendente elevação das exportações. Tal fato ocorreu quando os maiores exportadores mundiais, China e Argentina, tiveram suas exportações vetadas por questões de ordem sanitária.
Os benefícios que o mel pode ter para a sociedade são as propriedades medicinais primeiramente, que são eficazes contra a proliferação de bactérias e na prevenção de doenças como a bronquite. O mel é doce e possui uma quantidade enorme de sais minerais que participam de diversas reações metabólicas no organismo humano, sendo as vitaminas alguns destes minerais, essenciais à boa saúde. As proteínas também estão contidas no mel e são quebradas em aminoácidos para a formação de energia e produção dos músculos.
Estamos localizados num ambiente 100% favorável para a produção de mel com alta qualidade e sabor. Nossa vegetação é totalmente propícia a produção de colmeias especiais. Podemos vender no mercado nacional e internacional. As vendas dos produtos serão um dos fatores muito importante para a manutenção do Projeto Oásis no Sertão.

CAPRINOCULTURA

A criação de caprino é considerada uma das grandes alternativas financeiras para a sobrevivência para o povo nordestino. Devido às condições climáticas e adaptações favoráveis do animal à região.

As cabras são consideradas a salvação de mais de um milhão de famílias no sertão nordestino: Durante a seca, quando é comum sofrer perdas nos rebanhos bovinos e na lavoura, as cabras continuam ali, firmes e fortes, comendo cascas e folhas secas e produzindo leite (o leite de cabra possuir mais nutrientes e é de digestão mais fácil para os portadores de intolerância à lactose). Além da carne bastante apreciada no Nordeste é do leite altamente nutritivo, os criadores ainda se beneficiam da pele.

A caprinocultura leiteira está mais presente na agropecuária brasileira, conquistando e mantendonovos mercados para o leite de cabra e seus derivados. Entre os produtos dessa atividade, destacam-se: Leite pasteurizado, leite ultrapasteurizado (UHT), leite esterilizado, leite em pó, iogurtes, sorvetes, doces e queijos. Entretanto, como a oferta de produtos tem crescido, a competição pelo mercado também é uma realidade, exigindo maior eficiência de todos os componentes da cadeia produtiva.
Para criar cabras você precisa, basicamente, de bons animais, instalações confortáveis, que facilitem o manejo, e de boa alimentação. Mas, também, precisa decidir sobre como será feita a comercialização do leite, vendendo o produto cru, ou se fará o processamento na propriedade. Se optar pelo processamento, terá que escolher quais produtos pretende elaborar, se somente leite para consumo in natura ou também seus derivados, e como será a distribuição.
Além da produção leiteira, o carprinocultor pode investir no melhoramento genético do seu rebanho, visando comercializar matrizes e reprodutores para outros criadores.
No planejamento, a localização do empreendimento tem grande importância. Essa, de forma estratégica, possibilita o crescimento das vendas de todos os produtos do laticínio e também de animais vivos. Por isso, na hora de planejar, pense na importância da proximidade com os centros consumidores, do bom acesso a estradas e na facilidade de aquisição de insumos.
As principais diferenças entre o leite de cabra e de vaca estão nos teores de gordura e proteínas, que têm influencia direta no rendimento da fabricação de queijos, e reforçam o seu valor nutritivo.
Faremos um rebanho de caprinos selecionado para vendas de reprodutores.

QUEIJOS GOUMERT LEITE DE CABRA

O leite de cabra é uma excelente alternativa. Pessoas alérgicas ao leite de vaca, crianças e idosos, bem como grupos religiosos, consomem o leite da cabra em pó ou “in natura”. Também na gastronomia usa-se largamente o leite caprino na confecção de pratos e molhos deliciosos, sem falar da produção de derivados: queijos, iogurtes e outros laticínios. A indústria de cosméticos também tem toda uma linha de produtos à base do leite de cabra. Como se vê, há um mercado diversificado e atraente ainda pouco explorado. È o único leite que continua com suas propriedades nutritivas após os seis meses de produção.

Algumas raças europeias leiteiras que mais tem se destacado:

SAANEM: Brancas, altivas, maiores produtoras de leite, maiores e mais exigentes consumidoras de alimento. Período de lactação de 8 a 10 meses, com pelo menos 3 Kg de leite por dia. Fêmea fértil obtém com frequência dois cabritos por gestação, às vezes três. Exige sistema de confinamento e bons cuidados.

TOGGENBURG: Pelagem castanha acinzentada (peluda ou não) e com faixas brancas na cara. Mais rústica que a Saanem, boa leitura (2,0 Kg), boa reprodutora, costuma ter gêmeos. Vive bem em ambos os sistemas.

PARDA: Coloridas de castanho e negro, um pouco menores que as Saanem, mais rústicas e também boas produtoras de leite. Durante 8 a 9 meses costumam dar 2 Kg de leite por dia.

ANGLO-NUBIANA: Animais de dupla aptidão (leite e carne), pelagem colorida, orelhas grandes, nariz acarneirado, geralmente mocho. Produz 2 kg de leite por dia durante 7 meses. Os cabritos vão para o abate aos 3 meses já com 21 kg.

Está dito que o queijo é um dos alimentos mais completos do mundo, devido à concentração de proteínas, gorduras, vitaminas e sais. Como definição, o queijo é um concentrado protéico-gorduroso resultante da coagulação do leite.

O leite de cabra é uma excelente matéria prima para a fabricação de queijos. A textura dos grãos de coalho, da massa e do queijo em si, é agradável ao toque e, pela sua coloração muito branca, transforma-se em queijos com aparência especial e bela. Faremos uma fábrica de queijos de leite de cabra em alto padrão da gastronomia gourmet.

Trabalharemos numa linha de queijos defumados. Eles serão diferenciados pelos os ingredientes e na forma da fabricação. Seremos reconhecidos e destacados pela a excelência e pela qualidade dos nossos produtos no Brasil e no exterior.